Poema: “Soneto de Celebração ao Shakespeare”

Poema: “Soneto de Celebração ao Shakespeare”

(Autor: Kênio Barros de Ávila Nascimento)

Soneto de
Celebração ao Shakespeare

Frutífera vida teve o poeta,
Das ilhas saxônicas e terras,
Que da alma exaltou belezas,
Misérias capturou a mais abjeta.

Sanguinárias peças sobre realezas
Pretendia espelhar, em grande parte,
Ambição vã, que a Deus punha à parte,
De homens e mulheres em todas as Eras.

Em seu ápice, ele fez chorar e rir
Públicos nos teatros de sua Globo.
Amor festejava mesmo ao ferir

Personas sejam boa, má ou lobo.
Depois da morte, arte vive a exibir
Fólios seus espalhados por todo globo.

Poema: “Sonnet of Celebration to Shakespeare”

Sonnet of Celebration to Shakespeare (by Kênio B. de Ávila Nascimento)

*

Fruitful life had the poet

From the Saxon islands, lands,

Who of the soul exalted beauties,

Miseries captured the most abject.

*

Bloody plays about royalties

He intended to mirror, in part,

Vain ambition that God put apart,

Of men and women in all Ages.

*

At its apex, he made cry and laugh

Audiences on theaters of his Globo.

Love celebrated even it kills a lot

*

Characters indeed good, bad or snob,

Plays his art live after his death,

Folios spread now all over the globe.